SEJAM TODOS BEM-VINDOS!

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Glorioso São Sebastião do Marajó: Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro - Bair...

Glorioso São Sebastião do Marajó: Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro - Bair...: Trabalho de pesquisa dos universitários da Faculdade Ipiranga sobre a Festividade do Glorioso São Sebastião. Conteúdo: Apresentação de FOLI...

Movimento Marajó Forte: ILHA DO MARAJÓ | Cultura, igarapés e búfalos garan...

Movimento Marajó Forte: ILHA DO MARAJÓ | Cultura, igarapés e búfalos garan...: Praias desertas de água salobra, igarapés e búfalos por toda a parte. Não seria exagero dizer que a Ilha de Marajó oferece um turismo ...
Praia do Pesqueiro - Soure - Marajó - Pará


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Belezas do Marajó - Parte 2

Ao som de muito CARIMBÓ!

Belezas do Marajó - Parte 1

Ao som de muito CARIMBÓ

O Carimbó Marajoara por Marcello Gabbay

"O Carimbó Marajoara" é o vídeo produzido e dirigido pelo pesquisador do LECC Marcello Gabbay como parte da pesquisa de Doutorado em Comunicação e Cultura(UFRJ) defendida no último dia 6 de novembro de 2012.

O trabalho foi orientado por Raquel Paiva (LECC/UFRJ) e pelo sociólogo francês Michel Maffesoli (Sorbone V) e durou quatro anos. Paralelamente, importantes colaborações de intelectuais sourenses ajudaram a construir as trilhas do carimbó na capital do Marajó, destacadamente o músico e musicólogo Anderson Barbosa Costa, o artista plástico Ronaldo Guedes e Amélia Barbosa, diretora do Grupo Cruzeirinho.

O vídeo conta com trilha musical dos mestres sourenses, como Diquinho, Regatão, Chicão e o lendário Mestre Biri, além da canção "Igarapé" composta por Gabbay sob forte influência dos ares de Soure.

CONFIRA:

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

sábado, 10 de novembro de 2012

DALCIDIAR - de Jeová de Barros - Homenagem à Dalcídio Jurandir, o maior romancista da Amazônia.


DALCIDIAR

Dalcidiar é um verbo
que se conjuga com a chuva
com a queda da manga
com canto da Iara
É um verbo parauara
que a gente vai conjugando
e o tempo vai mundiando
e devagar vai cercando
pode até enfeitiçar

Tem a força do apuí
por ser um verbo daqui
envolve quem conjugar

É o canto do Uirapuru
que conjuga em tempo eterno
o Pará tem esse verbo
que pode o tempo parar.

*****

Jeová de Barro, o "Poeta de Barro" é professor, escultor, poeta e ilustrador, participa da cena literária paraense em saraus escolares, movimentos culturais e com publicações de suas obras. É autor dos livros " Manga com febre" e "Diga-se de passagem", além de ter poemas publicados em antologias poéticas locais.