SEJAM TODOS BEM-VINDOS!

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Fazenda ARARI

Antigamente

Atualmente


A casa sede da Fazenda Ararí é um marco da colonização,  até hoje conservado no estilo colonial primitivo. É o único imóvel em toda a região do Arari, que conserva na sua integridade arquitetônica, todo o estilo de uma época. Edificada na margem esquerda do rio Ararí, em terreno bastante alto (teso) onde as águas das enchentes pluviais não atingem. Pertenceu a ordem dos Mercedários; sua construção sólida, resiste até hoje, com pouquíssimas obras de conservação, sem descaracterizar o estilo arquitetônico primitivo. Edificada sobre colunas de pedras e cal, embasada em sólido e forte alicerce, garantido pela resistência compacta do terreno, tem a parte superior toda em madeira de lei, amplas dependências, cobertura com estrutura de madeira muito bem segura, telhas convexas de barro cozido. A parte térrea tem dois grandes quartos que serve de depósito de material, e uma grande área livre, piso de cimento, dão ao casarão um aspecto inconfundível do estilo colonial da época.
Ao lado completamente separado da casa grande está a Capela de Nossa Senhora das Mercês, de frente para o rio Arari no sentido longitudinal rumo sul, com vista para o chamado estirão do Ararí, vendo-se ao fundo, de um lado a curva do rio, chamada de Volta do Bacuri e de outro a entrada do igarapé Bacurí, afluente do rio Ararí. Nesta capela são realizadas todos os anos as festas em homenagem à Nossa Senhora das Mercês. Sua construção sólida e antiga resiste até hoje sem alterações arquitetônicas, recebendo apenas obras de conservação.

(Pg 85 do livro Ferra nas Fazendas)

####

- Muitas lembranças me vem na memória: quantos banhos de rio, brincadeiras, passeios de canoas, corridas pelos campos e florestas eu viví aqui! Saudades de tudo! Sou neta de JOÃO GOMES DE ARAÚJO (João Guará), que foi feitor desse grande patrimônio pecuário.

6 comentários:

  1. Dia 14 de Julho, estive na Fazenda Arari, visitando a capela de Nossa Senhora das Mercês. Realmente é muito bonito! Ouvi a história da Cobra Grande, cujo suspiro se encontra atrás do altar da capela.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela visita!
    O nosso Marajó é realmente recheado de muitas histórias e estórias!!!

    ResponderExcluir
  3. Segundo minha mãe, já falecida, me contou. Ela nasceu nesta fazenda nos idos de 1930. Tenho orgulho desta minha origem.

    ResponderExcluir
  4. Afonso eu também não nego minha origem, sou cabocla marajoara de corpo e alma, amo visitar meus parentes e amigos sempre que posso, acho que nós somos assim......o Marajó é a nossa paixão!

    ResponderExcluir
  5. quando vejo comentarios sobre a ilha do marajo sinto me orgulhoso meus bisa avos moraram em genipapo na quela epoca eles tinham duas fasenda no sentro sendo uma chamada fazenda n sr de nasare outra n sr da batalha hoj ja os dois falecidos as fazenda ficaram pra familia fui criado nelas quanta saudade desses tempo bom assim o nome da nossa famili e tavares arespeito da fazenda arari tive a oportunidade de conhecer po adorei nunca vou esquecer este momento ass sidney

    ResponderExcluir
  6. Sidnei, os bons momentos ficam gravados na nossa mente por toda nossa vida, eu acho que é pra gente de vez em quando recordar e viver aqueles momentos,por isso viaje nas fotos do encanto e se puder volte ao nosso Marajó para rever tudo isso, tá?
    Muito obrigada pela visita!
    Um grande abraço marajoara!

    ResponderExcluir